Espiritual Archaeology

Wellcome my dear friends!
Enjoy the archaeological thinking exercise... I'm glad to see you all here, if you like, please follow.






sexta-feira, 30 de julho de 2010

A ciência do vizinho: a arqueologia farofeira



Me parece algo vital, a fofoca. Como o ar, todos à respiram. A prática do vizinho parace ser sempre a melhor. Bobagem. Se está sempre de olho, vigilante. Pronto para criticar, para fofocar, sobre a Arqueologia do vizinho. Tu queres saber como? Deixa eu explicar. A necessidade de saber o que o outro está fazendo, o que produz e com que qualidade... birra de criança, infantilidade epistemológica.



Os nossos bons descobridores morreram. Os nossos melhores detetives e pesquisadores estão decepcionados, desiludidos. Toda essa farofada está mal misturada e ruim de digerir. Pois é sempre a farofa do vizinho que é a mais saborosa, melhor misturada, mais temperada. Essa Arqueologia farofeira cansa.



Acontece que no bairro não existem apenas vizinhos farofeiros. Há também aqueles que trazem saladas sortidas, verdinhas; aqueles que fazem churrasco e até mesmo aqueles que arriscam uma lazanha. Mas a farofa nunca acaba, pode acreditar. Daí vem aquela conversa: o que será que tem na salada deles pra atrair tanta gente? Será que minha farofa não é mais tão saborosa?! Os farofeiros sempre vão existir.

Fazer ciência e produzir conhecimento é arriscar. Deixar de oferecer farofa. No mínimo ensaiar um prato novo, levar a novos ambientes, fazer ciência é inovar. Nós que produzinhos conhecimento, temos que ter a confiança na nossa farofa, nos ingredientes; no que construímos e oferecemos aos outros. Somos formadores de opinião arqueológica e, até aonde eu sei, a farofa do vizinho não interfere nesta construção.

Porque são utilizados paradigmas tão cristalizados? Talvez seja por que se tem medo de abrir mão daquela farofinha, quentinha e misturadinha do dia-a-dia. Os grandes pensadores Boucher de Pertres, Lorde Pitt-Rivers, Mortimer Wheeler, Leroi-Gorhan... não, eles não se contentaram com a farofa do vizinho. Trataram de cozinhar algo novo para que o mundo pudesse saborear.



Enquanto alguns perdem tempo criticando a farofa do vizinho eu vou tentar e ter o prazer de cozinhar algo novo!
Abração caloroso a todos!
MSN: marlonpestana@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário